Uma vida em Hiato

Eu sei que eu tô sumida daqui mas é que não tem nada pra falar.

Lula ganhou, a copa vem aí, tem gente passando vergonha na rua, tudo mais do mesmo.

Sabe quando uma série entra em Hiato e você passa meses esperando o próximo capítulo?

A minha vida tá assim. Estou em Hiato.

Nada acontece feijoada.

Acordo, trabalho, durmo and return.

Acho que tô naquele momento da música do Raul Seixas:

Ah! Eu devia estar sorrindo e orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa

Eu devia estar contente
Por ter conseguido tudo o que eu quis
Mas confesso, abestalhado
Que eu estou decepcionado

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto: E daí?
Eu tenho uma porção
De coisas grandes pra conquistar
E eu não posso ficar aí parado

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Pra ir com a família no Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos

Ah! Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro, jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco

É você olhar no espelho
Se sentir um grandessíssimo idiota
Saber que é humano, ridículo, limitado
Que só usa 10% de sua cabeça animal

E você ainda acredita
Que é um doutor, padre ou policial
Que está contribuindo com sua parte
Para o nosso belo quadro social

Eu é que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada, cheia de dentes
Esperando a morte chegar

Porque longe das cercas embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora dum disco voador

Acho que todo mundo conhece essa música, mas se não conhece ela se chama Ouro de tolo.

Enfim eu me sinto assim achando tudo um saco. Algumas pessoas me falam as vezes: Ah faz uma academia, comece uma faculdade/curso novo. EU NÃO TENHO ÂNIMO.

Eu não quero novos nadas, não quero recomeçar nada. Eu quero ficar paradinha vendo a vida passar e a morte não vem.

Porém as vezes eu sinto um pouco de culpa por não querer nada. Por quê teoricamente eu estou na metade da minha vida. estatisticamente falando a espectativa de vida de uma mulher no Brasil é de 80,3 anos.

Logo eu com 42 estou no meio do caminho. Mas só de pensar em passar mais 40 anos nesse mundo eu sinto desânimo. O quê eu vou fazer até lá?

Não era só nascer, crescer e multiplicar? Já fiz. Já plantei a árvore também. Me leva Deus!

E fica aí o texto motivacional de hoje.

Tudo é rio.

Não sei por onde começar esse texto.

Definitivamente não vou conseguir fazer um resumo isento fingindo distanciamento de um livro que mexeu tanto comigo.

Eu quero Gritar: LEIAM ESSA PORRA!

Mas por outro lado um livro é como a vida de cada um: Um rio.

As vezes as águas não são tão profundas como você achou que era.

Prefácio

Porém vamos começar do início (Cêjura?)

Tudo é Rio é um livro de Carla Madeira, uma mineira. Esse livro chegou a mim como as boas surpresas da vida, por acaso. Meu namorado viu a indicação no twitter, comprou, leu, gostou e comprou pra mim de presente e me disse muito sério: Moça eu gostei do livro, mas se você não gostar eu vou entender, não se force a ler por minha causa.

Entendi a ressalva pois ele sabe que tenho certo preconceito com literatura nacional.

Porém não precisei de mais que duas páginas para ser fisgada pra dentro da história.

O ambiente do livro é qualquer cidade do interior do Brasil. Você reconhece os detalhes, pode ser onde eu cresci, onde você cresceu. As terras de seus avós. A putaria e a religiosidade em casa detalhe do livro te escancara a hipocrisia que habita em cada um de nós.

O livro no fim você percebe que não tem heróis nem vilões. São seres humanos imperfeitos em suas imperfeições.

Os personagens principais: Lucy, Venâncio e Dalva são pessoas simples. Com felicidade e sofrimento sem rebuscado. É um livro cru. E cruel.

Algumas passagens do livro são pesadas. Uma em especial fez o clima do livro ficar pesado todo o tempo. É imperdoável. Mas será mesmo? É um Rio de sentimentos furiosos te levando de lá pra cá. Da dor pra tristeza, da raiva pro pesar e para o penar. E no fim o rio deságua em outras águas.

Eu não consegui parar de ler até ver o destino final, mas rio não tem fim apenas muda o curso então o fim talvez seja só o começo.

Obviamente eu não quero dar Spoiler mas não porquê eu sou legal, não quero dar Spoiler porquê egoísta que sou quero que vocês sintam o que eu senti. Não quero sofrer sozinha nem tão pouco chorar.

Li no twitter que o livro vai virar filme, mas não esperem. Leiam.

Conheçam Dalva, é uma mulher que vale a pena conhecer eu garanto.

Venâncio é um homem simples, do povo, talvez você não goste dele, mas eu consigo perdoar ele. De coração eu te perdôo Venâncio.

E Lucy, a grande puta. A vagabunda em pessoa aquela que tem o homem que quer. A dona da porra toda, a puta que goza. Eu odeio ela por ser o que é. Mas quem sou eu pra perdoa-la? Que culpa ela pode carregar em ter em si o que todo homem quer? Acho que tenho inveja da Lucy. Mas Lucy é mulher e nenhuma mulher passa despercebida pela vida, a vida cobra toda felicidade que alguem sente.

Enfim não posso ir além. Fico aqui em luto pelo fim da história. Esperando ávida o próximo livro a me tirar do eixo.

App golpista!

Eu tô puta, muito puta, putissima!

A revolta corrói o meu ser.

Estava eu lá de boa no Instagram quando cliquei num ad e abriu uma página com um trecho de um livro. Eu sou uma leitora viciada e fui lendo até que mandou eu baixar um aplicativo para continuar a ler.

Meu erro foi baixar o app. A história aparentemente não tinha fim. Quando chegou lá pelo capítulo 20 barraram a leitura. Para continuar tinha que comprar moedas. Olhei e falei: Ok, R$16,00 reais por um livro é ok. Vou comprar 300 moedinhas

Meu erro número dois. Não é um livro. É uma “”” novela””” praticamente não tem fim. Você tem que vender sua casa pra ler essa merda.

Obviamente eu fui no Google procurar a história para ler.

Meu erro número três. A autora ou autor sei lá eu, imagino que seja mulher por quê eu duvido que um homem escreveria aquelas coisas horrendas que eu li.

A pessoa dúvida da inteligência do ser humano no mais básico. Lembra do ditado que a realidade não precisa fazer sentido mas a ficção sim? Pois então.

A mocinha da história é filha de uma mulher que é babá pois faliu após do divórcio. O pai morreu e deixou uma empresa falida.

PORÉM ELA FAZ FACULDADE DE ARTES E NEUROCIÊNCIAS AO MESMO TEMPO.

E não para por aí.

Nessa já era três da manhã a história caminha ladeira a baixo e eu ainda indignada com o aplicativo roubando dinheiro das pessoas que só quer ler um livro de boa.

Agora de manhã minha filha me chama no WhatsApp e diz que também está lendo EM OUTRO APP dos mesmos moldes. Ou seja é uma máfia.

Fica aí a indignação dos leitores.

Fui olhar o app com calma e tem contrato com os autores. E paga em dólar.

Ou seja qualquer jumento com tempo pode escrever qualquer merda pra enganar o leitor tempo suficiente pra ele pagar. Não tem compromisso nenhum com uma história coesa. É só enfiando coisas sem sentido com o máximo de capítulo possível.

Continuando a história.

A mocinha sem dinheiro mas que estuda neurociências casou com um milionário a beira da morte num arranjo com a mãe dele, pois a velha queria um neto. A mocinha casa, faz inseminação artificial e milagrosamente o infeliz acorda do coma. E a primeira coisa que faz é pedir o divórcio! Muita encheção de saco depois ele acha que a moça tá grávida do ex namorado e OBRIGADA ELA A ABORTAR.

Numa reviravolta (é uma novela!) Ela consegue convencer o médico a não fazer o aborto. Era gêmeos!

Parei de ler no capítulo sei lá quantos quando ela foge do país pra ter os filhos e pasmem! Volta pra cidade 4 anos depois com crianças superdotadas. Uma menina de 4 anos instalou um Trojan no celular do suposto pai dela.

Era quatro da manhã eu já tava puta. Eu quero pegar a pessoa que escreveu isso e esfregar a cara dela mim muro de chapisco.

Eu não sei se eu choro ou dou risada. Eu fui enganada, aceito que fui feita de trouxa. Mas minha indignação não passa.

Ah sim, ela voltou milionária sabe lá deus como vai reerguer a empresa do pai e o ex marido milionário pai das crianças não sabe ainda que tem filhos e os filhos super dotados querem vingança. Sim as crianças de 4 anos.

Estou decidida a escrever uma novela. Eu escrevo melhor que isso. Eu consigo uma história que pelo menos faça sentido.

Eu queria ter lido os comentários antes de fazer a besteira de começar a ler essa porcaria.

True crime: A sorveteira assassina.

A Moça bonita que servia sorvete na sorveteria começou a incomodar os vizinhos com um barulho que vinha do porão. Ela pediu desculpas pelo barulho e a vida seguiu.

Um ano depois por um acaso de destino trabalhadores que estavam fazendo reparos no porão tiveram a surpresa desagradável de encontrar dois corpos picados dentro de dois tambores de sorvete.

Depois de presa a mulher confessa toda a história. O primeiro corpo era de seu marido : Holger Holz.

Ela conta que sonhava em ter filhos, mas seu marido além de abusivo não queria transar e dizia que ela nunca ia encontrar outro homem.

Um belo dia ela conheceu um homem online e saindo para encontrar com esse homem o marido riu e disse pra ela desistir. Ela pegou uma das quatro armas que tinha em casa e atirou na cabeça dele. E saiu.

Quando voltou pra casa picou o corpo do marido e colocou nos fundos da sorveteria. E arrumou um novo amante pois não havia desistido de engravidar.

O tempo passou e ela encontrou pornografia no celular do amante e encontros com outras mulheres. Atirou na cabeça dele enquanto ele dormia mas dessa vez ela estava melhor preparada e foi mais fácil picar e guardar o segundo corpo.

A mulher ainda não tinha desistido de encontrar o homem que finalmente ia engravida-la e conheceu um terceiro homem.

Finalmente chegou o dia que o resultado deu positivo e Estibaliz Carranza uma Espanhola que vivia em Viena estava grávida.

Seria o dia mais feliz de sua vida se não fosse os trabalhadores descobrir os dois corpos no seu porão naquela mesma noite.

A criança nasceu em 2012 e foi levado para morar com o pai, que se casou com Carranza mesmo ela presa numa instituição menta.

Fonte: G1

São tempos difíceis para os sonhadores

Essa é uma frase do filme O fabuloso destino de Amélie Polain que eu não assisti porquê me parece chatissimo mas eu vejo essa frase pra todo lado e definitivamente estamos em tempos difíceis para os sonhadores.

Nesses últimos dias mais do que o normal.

A violência, a ferocidade, preconceito, intolerância e etc que já é tão comum no nosso cotidiano está num nível elevado por causa das eleições.

Eu tô cansada num nível que a vontade e dormir e acordar só em 01 de janeiro.

Minha vontade de esfregar a cara desse povo numa parede até sangrar é enorme. E não não me venham dizer que os dois lados são iguais. Não são e eu não vou discutir isso.

Eu só quero que termine logo. Quero reclamar de outra coisa. Eu não sou moderada, eu tão pouco sou Isenta. Só não tenho forças pra lutar. Então se eu fosse me classificar seria perdedora por falta de lutar. Por mim se dependesse só de mim já tinha colocado fogo em tudo e tacado sal. Esse país não tem mais jeito. Lutar por quem e pra quem?

O povo merece. Tudo de ruim que tá acontecendo. O povo merece. A gente não tem nem cara pra defender mais.

E pra terminar vou deixar a minha música favorita do Matanza aqui.

O queijo lendário.

Eu não sou mineira de nascimento, mas sou mineira de coração. Moro em Minas gerais a mais de 20 anos e sou totalmente a música do César Menotti e Fabiano

É aqui que eu amo
É aqui que eu quero ficar
Pois não há á á!
Lugar melhor que BH…

E claro Minas é sinônimo de queijo. Um tempo atrás minha irmã estava trabalhando numa loja no mercado central e me falou desse queijo cujo nome é A Lenda. Minha irmã disse que eram espíritos que produzia o queijo e por isso ele era tão especial. Beleza, pensei eu, porquê alguém morre e tem a eternidade pela frente e vai ficar fazendo queijo? Obviamente só pode ser um Espírito Mineiro. Rimos muito, e deixei a história pra lá até agora de manhã que achei uma notícia sobre este mesmíssimo queijo.

O queijo lendário.

A receita do queijo foi achada num cofre junto com uma lata de fermento numa antiga fábrica de queijo que fica em Cruzília ( achei o nome da cidade apropriado). Produzido artesanalmente o queijo em questão tem um sabor diferenciado, quem trabalha lá jura que quando chega pra trabalhar o queijo tá virado e limpo, fazendo acreditar que durante a noite os funcionários que já se foram voltam durante a noite pra dar uma mãozinha. A eternidade deve ser um tédio então porquê não trabalhar um pouco não é mesmo?

O queijo lendário já ganhou prêmio nacional por seu sabor. E me deixou curiosa pra experimentar.

Fonte:g1

A taça do mundo é nossa.

A Taça do Mundo é Nossa é uma canção de autoria de Wagner Maugeri, Lauro Müller, Maugeri Sobrinho e Victor Dagô, composta para as comemorações após a Seleção Brasileira de Futebol ter vencido a Copa do Mundo FIFA de 1958 na Suécia.

Fonte: Wikipédia

E nessa música de 1958 tem um verso que diz:

O brasileiro lá no estrangeiro
Mostrou o futebol como é que é
Ganhou a taça do mundo
Sambando com a bola no pé

Notem quê o samba, a dança e o futebol para nós brasileiros estão intimamente ligados desde sempre. É tipo queijo com goiabada.

Agora vem um bando de arrombado Europeu que são carregados por nós latinos no futebol querer falar que Vinícius Jr. Não pode dançar, que é desrespeito. Desrespeito é essa xenofobia contra brasileiros. O Vini no futebol é o retrato do brasileiro que deu certo lá fora, é o muleque carioca que sonhava ganhar o mundo e ganhou e é feliz por isso. E dança! Dança com a bola nos pés.

O gramado pra ele é o palco onde ele mostra o gingado brasileiro, o sorriso e o brilho nos olhos do menino que sabe que venceu.

Falta 65 dias para o início da copa do mundo.

Começa domingo , 20 de novembro .

E enquanto durar a copa do mundo eu não quero saber quem é o presidente, eu não quero saber de absolutamente nada além de apoiar o Brasil na copa. Vestindo a camisa verde e amarela, colocando bandeira na janela e gritando CHUPAAAA!!! pra vizinhança toda ouvir porquê eu amo esse clima de copa do mundo e preciso esquecer o 7×1.

Vamos ganhar? Não sei. Tenho fé, tenho esperança, e vou torcer, vou torcer muito!

Porquê estamos saindo da maior tragédia que a nossa geração passou, a Pandemia. A gente merece essa felicidade. Perdemos parentes, perdemos amigos, perdemos até a dignidade de um governo decente. A gente merece a felicidade de chorar abraçado com amigos enquanto o Galvão grita, a vó grita o cachorro late e a cerveja entorna!

Eu quero que minhas netas e meus filhos sintam o orgulho e a felicidade que eu senti no dia que o Brasil ganhou a copa de 94 e fez eu amar o futebol como eu amo hoje. Aquele dia, aquele momento ficou marcado em mim.

Se eu fechar os olhos eu consigo descrever exatamente o lugar que eu estava e o momento que Roberto Baggio chutou a bola pra fora.

Então sim! Eu estou contando os dias pra sentir aquela emoção de novo e se o Hexa não vier, tudo bem daqui a 04 anos a gente tenta de novo. Pois brasileiro não desiste nunca.

O filho não é visita na casa do pai.

Uh nossa falei o óbvio. Por incrível que pareça isso não é óbvio pra grande maioria das pessoas.

Durante as duas últimas semanas eu tenho feito prints das perguntas feitas pra advogadas de família e o poço não tem fundo.

São mães que querem tirar até o último centavo dos ex e até atuais.

São filhos que acham que os pais tem que morrer logo pra liberar a herança.

São pais que jura que 250,00 de pensão vai sustentar o filho e mãe e por aí vai.

Mas no meio desse mar de lama o quê mais me incomoda é que as pessoas acham que o filho é visita. Pais reclamando que a mãe não manda roupa, madrastas perguntando se são obrigadas a aceitar as crianças lá.

A sua casa é a casa do seu filho.

Ele tem que ter os brinquedos dele, as roupas, abrir a geladeira e ter as comidinhas dele lá e brincar com o cachorro. É seu filho, sua família.

Você como pai não deve nunca deixar seu filho se sentir visita na sua casa e pior as vezes uma visita que não é bem vinda.

Ah mas a minha esposa tem ciúmes do meu filho, troca a esposa. Mulher é fácil de achar. Quando você entender que o seu filho é a coisa mais importante que você tem na vida as coisas mudam de figura.

Seja pai, genitor não é pai, fica a dica.

Até.

E se…

Tô maratonando a série Law and order SVU. Sempre foi uma das minhas séries favoritas. E hoje pela manhã comecei um episódio que me deixou pensando até agora. Não terminei o episódio pois tive que sair pra trabalhar enquanto trabalho penso no assunto e qual seria o melhor fim para essa história. Então resolvi dividir com vocês o Dilema moral. E se a situação fosse com alguém que vocês amam, o quê fariam?

História:

A mocinha, sobrinha de um dos detetives disse que foi estuprada por um colega de faculdade, a faculdade expulsou o rapaz. O tio não ficou satisfeito e colocou a equipe do SVU pra investigar o rapaz e ele ir a julgamento, até aí tudo bem. Mas a moça toda contraditória não deu base legal pra um julgamento. Daí, num momento sozinha com o Tio ela contou que mentiu, que o cara não estuprou ela. Ela disse sim pra ele mas ficou com vergonha e quando a amiga perguntou ela disse que foi estupro.

O tio ficou puto e disse pra sobrinha consertar o erro. A moça vai e chama o rapaz pra conversar e pedir desculpas mas o rapaz vai lá e estupra ela de verdade e fala: Agora você sabe o que é um estupro.

Ela chama o Tio e o tio aconselha ela a não contar pra ninguém que mentiu a primeira vez.

Pausei o episódio aí. E aí? Eu quero que ela pague pela mentira que causou tudo isso. Me recuso a acreditar que ela vai se safar.

E vocês o que pensam?